sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

ENCOLHENDO ISOPOR


Bolsista: Solange Batista de Sousa Anacleto Reis

 
MATERIAIS UTILIZADOS
  •          Isopor
  •          Copos descartáveis de poliestireno (código de reciclagem 6)
  •          Acetona (comprado em farmácias como removedor de esmalte)
  •          Frasco de vidro de boca larga
PROCEDIMENTOS
  •          Coloque alguns mililitros de acetona no frasco de vidro de boca larga
  •         Vá colocando aos poucos os pedaços de isopor e observe a reação.
  •          Pode colocar também pedaços de copo descartável ou uma embalagem de poliestireno e observar o que ocorrerá após algum tempo. 
CUIDADO: A acetona é inflamável, portanto verifique se não há fonte calor ou chamas por perto, pois pode ser perigoso.

PORQUE ACONTECEU ESSA REAÇÃO?
O isopor é formado por um polímero conhecido como poliestireno, que tem o código de reciclagem 6, que nos mostra então que ele pode ser reciclado. Essa reciclagem já ocorre em muitos lugares, transformando-o em caixas de fita cassetes e vasos de plantas.
Na fabricação do isopor, o polímero é formado na presença de um solvente com um baixo ponto de ebulição que, ao evaporar, expande o plástico, deixando entrar o ar na sua estrutura. O isopor contém cerca de 95% de ar em sua composição. Esse ar, o torna um excelente isolante térmico.
Inicialmente o solvente usado para expandir o isopor eram os CFCs (Clorofluorcarbonos), mas devido aos problemas causados por ele à camada de ozônio, eles foram substituídos por solventes que não agridem o meu ambiente.
No nosso experimento podemos notar que ao colocarmos o isopor e o copo descartável na acetona, surgem algumas bolhas. Isso acontece porque a acetona enfraquece as interações entre as cadeias de poliestireno, amolecendo o isopor e permitindo que o ar preso escape.

FALANDO UM POUQUINHO SOBRE:
  •          ACETONA – Também conhecida como dimetilcetona, 2-propanona, propan-2-ona ou simplesmente propanona. É um composto orgânico sintético que também ocorre naturalmente no meio ambiente. É um líquido incolor de odor e sabor fáceis de distinguir.  A acetona é produzida principalmente por processos de desidrogenação ou peroxidação do álcool isopropanol. Uma das formas de se obter a acetona é pela oxidação do álcool secundário 2-propanol (isopropanol), utilizando uma mistura de dicromato de potássio (K2Cr2O7) ou ácido sulfúrico concentrado (H2SO4). Outro método consiste no aquecimento a 300ºC do acetato de cálcio. Aproximadamente 80% da acetona é produzida como um co-produto do fenol.

  •          POLIESTIRENO - Originário da reação de etileno com benzeno na presença de cloreto de alumínio, obtendo-se o etilbenzeno, que hidrogenado forma o estireno. Sua produção comercial se deu no ano de 1938, sendo descoberto pela primeira vez em 1839 pelo farmacêutico alemão Eduard Simon. O monômero para a produção do poliestireno é o estireno, que quimicamente é um hidrocarboneto aromático insaturado, também chamado de difenilacetileno ou vinilbenzeno.É um líquido, com ponto de ebulição 145ºC e ponto de solidificação -30,6ºC.Quando puro é incolor e apresenta um odor agradável e adocicado.Pode ser obtido industrialmente a partir de vários processos, entretanto o mais utilizado consiste na desidrogenação do etil-benzeno, sendo este obtido a partir da alquilação do benzeno por reação com o etileno, na presença de um catalisador como o cloreto de alumínio (AlCl3), por exemplo.A desidrogenação do etil-benzeno é provocada pela ação do calor, na presença de óxidos metálicos, tais como óxido de zinco, cálcio, magnésio, ferro ou cobre. A temperatura do sistema deve ser entre 600ºC a 800ºC. A reação é endotérmica e a pressão é reduzida pois ela se dá com o aumento do volume.

Espero que todos tenham gostado do post de hoje e espero vocês na semana que vem para mais uma matéria legal. Até mais...

REFERÊNCIAS
MATEUS, Alfredo Luís. Química na cabeça. 4 ed. Belo Horizonte: UFMG, 2008.
http://pt.wikipedia.org Acesso em: 01/02/2012
 

 


 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário